quinta-feira, 13 de agosto de 2009

Ata da plenária final

Está disponível a ata da plenária final do 29ºENEPe, segue no link abaixo:

http://www.4shared.com/account/dir/15004770/db8828bd/sharing.html?sId=fDZyY2IJNf8MvfzP

Cheiro e abração pessoal ^^

quinta-feira, 16 de julho de 2009

Informações sobre hotéis, pousadas, linhas de ônibus...

RELAÇÃO DOS HOTÉIS

01. HOTEL POUSADA CASA FORTE - WALTER SCHMID

Av. 17 de Agosto, 735 - Casa Forte C.G.C. l0.63l.l33/000l-10
Bandeirantes - Ag. 0325 - Casa Forte - RECIFE/PE - 52.060-590
Fone/Fax: 3268-7699/0524 - Paulinha/Lúcia pousadacasaforte@ig.com.br
Diária: Single Standard R$ 110,00 - Double Standard : R$ 138,00

02. R. C. HOTÉIS E TURISMO S/A – HOTEL CANARIU’S (****)
Rua dos Navegantes, 435 Boa Viagem – RECIFE/PE - 51.021-070 reservas@hotelcanarius.com.br
C.G.C. 12.770.533/0001-31 - Brasil - Ag. 1839-2 - C/C 2.002-8
Fone: 3465-1532 - Fax: 3326-6226/6666 – www.hotelcanarius.com.br
DIÁRIAS: Single Standard: R$ 113,00 + 15% - Double Standard: R$ 130,00 + 15%

03. MENDES CAMINHA EMPREEND. HOTELEIROS LTDA - HOTEL ONDA MAR
Rua Ernesto de Paula Santos, 284 - Boa Viagem - RECIFE/PE - 51.021-330 hotelondamar@ondamar.com.br
C.G.C. 12.864.161/0001-02 - Fone/Fax: 2128-4848 - Reserva: VALÉRIA/ANNE
Diária: SGL/STD - R$ 121,00 + 15% - DBL/STD - R$ 140,00 + 15%

04 -HOTÉIS DA FONTE S/A - MARANTE PLAZA HOTEL – www.marante.com.br
Av. Boa Viagem, 1070 1º Jardim - Boa Viagem – RECIFE/PE – 51.021-020 reservas@marante.com.br
C.G.C. 08.771.578/0001-53 - Brasil - Ag.3699-4 c/c 6164-6 Ivanilda-Cobrança
Fone: 3465-1070 - Fax (81) 3465-1169 – Belchior-Reserva/Edileusa-Dp-Vendas
Diárias: Single Standard R$ 160,00 + 15% - Double Standard R$ 170,00 + 15%

05 – HOTÉIS PERNAMBUCO S/A - RECIFE PRAIA HOTEL
Av. Boa Viagem, 9 Pina – RECIFE/PE – 51.011-000 vendas@recifepraiahotel.com.br
C.G.C. 09.850.173/0003-35 - Brasil – Ag. 3237-9 C/C 15.135-1
Fone: 2122-1100 - FAX: 2122-1101 – www.recifepraiahotel.com.br
Diárias: Single: R$ 115,00 + 15% - DBL: R$ 127,00 + 15%

06 – HOTÉIS PERNAMBUCO S/A – PARK HOTEL
Rua dos Navegantes, 09 Boa Viagem – RECIFE/PE – 51.021-010
C.G.C. 09.850.173/0002-54 - Fone: (81) 2122-4666 – Fax (81) 2122-4600 – http: www.park.com.br Diárias: Single: R$ 136,00 + 15% - Double: R$ 155,00 + 15% parkhotel@park.com.br/reservas@park.com.br

07 – A. L. EMPREEND. TURÍSTICOS LTDA (HOTEL JANGADEIRO)
Av. Boa Viagem, 3114 Loja 02 Boa Viagem – 51.020-001 RECIFE/PE
C.G.C. 07.536.293/0001-75 – BCO (341) ITAÚ – AG. 0364 – C/C 76.670-9
Fone: (81) 3086-5052/53 – Fax (81) 3466-5786 – E-mail: nave.tur@hotmail.com
Diárias: SGL/DBL:125,00 + 15% (vista parcial)-SGL/DBL:R$ 137,00 + 15% (Litorâneo:frente mar)

08 – PONTES HOTÉIS & RESORTS (MAR HOTEL RECIFE) – reservas@ponteshoteis.com.br
Rua Barão de Souza Leão, 451 Boa Viagem – 51.030-300 RECIFE/PE – CNPJ: 08.008.807/0003-44
Fone: (81) 3302-4446 – Fax (81) 3302-4422 - Isandra Calado – Assistente de Vendas
Diárias: Single: R$ 165,00 + 15% - Doublé: R$ 185,00 + 15%

09 – LUCSIM HOTÉIS LTDA – IP (INTERNACIONAL PALACE HOTEL)
Av. Boa Viagem, 3722 Boa Viagem – 51.021-000 – CNPJ: 10.476.828/0002-55
Fone: (81) 4009-2600 – Fax: (81) 4009-2626 grupos@lucsimhoteis.com.br/gve@lucsimhoteis.com.br
Diárias: Single: R$ 149,00 + 15% - Doublé: R$ 162,00 15%





AGÊNCIA DE TURISMO


AGÊNCIA AEROTUR LTDA
Rua Apodi, 583 Tirol – 59.020-130 NATAL/RN
CNPJ: 08.030.124/0001-21 – www.aerotur.com.br – e-mail: aerotur@aerotur.com.br
Fone: (84) 3220-2999 Fax: (84) 3211-5715 – Fone: (84) 3211-2955 – Gerlane Brasil
Reserva: Fone: (84) 3220-2999 / Fax (84) 3211-5715 - André – e-mail: andré@aerotur.com.br
Filial Recife: Fone: (81) 3326-8872-Juliana/Marília – Fax: (81) 3326-0001 – Cel.: (81)9247-5648/5748

OBS: Fazer reserva através do site www.aerotur.com.br.


CREUSA MARIA ABRANTES MAZOCO (TERRESTRE)
Rua Floriano Peixoto, s/n – São José - RECIFE/PE - 50.020-000
C.G.C. 01.387.818/0001-71 - Bradesco - Ag.28.289-5 - C/C 58.190-7
Fone/Fax : (081)3424-5648 Creusa 3241-7204-Tarde Fone: 3427-3560/3224-0420 -3222-6597-Resid.


LINHAS DE ÔNIBUS PARA CHEGAR NA UFPE

- Descendo na rodoviária: Pegar metrô para estação BARRO. Na integração do BARRO pegar o ônibus BARRO/MACAXEIRA (VIA BR-101) ou BARRO/MACAXEIRA (VIA VÁRZEA). Descer próximo a REITORIA DA UFPE e se for no via várzea poderá também descer próximo ao CENTRO DE EDUCAÇÃO.

- Descendo no aeroporto: Pegar o ônibus CDU/BOA VIAGEM/CAXANGÁ. Descer na UFPE, próximo ao CENTRO DE EDUCAÇÃO.

segunda-feira, 13 de julho de 2009

DELEGAÇÕES COM PRIORIDADE FINALIZADA

Para os estudantes que irão se inscrever no dia do credenciamento.

Segue abaixo a lista das delegações que estão dentro da margem dos 1.500 estudantes ditos previamente que garantiremos toda estrutura para o encontro:

Particulares da Bahia (44)
Distrito federal (68),
Serrinha (19);
UNIFESP (31);
UNEB CAmpus I (30);
UFF/NIteroi (17),
Vitoria da Conquista (30);
UERJ (01);
UEFS(23);
UFPA (21),
Feira de Santana (26);
UERJ/Maracanã (49);
UNEB VII/Senhor do Bonfim (30);
UFT-Tocantins (18);
FEBF/UERJ(32);
UFS(5);
Juazeiro (9);
UFC (29)
UFAL (13);
Marcos e Amanda; keila lima Mathias; ELANE CARVALHO DE OLIVEIRA;
Gabriel Marques (RJ); Stefania Valentim Cavalcante; Sandra Pimentel de Brito; Magela Gleissa Neves Fernandes
Makenzie SP (4)
UFRRJ (10)
UEMG (15)
UFOP-MG (1)
UNIMONTES-MG (3)
PUC-MG (12)
UFMG (11)
UFV-MG (2)
UFSJ-MG (2)
FEUSP (4)
UECE (28)
Valença, FALTAE, FAMAM, UESB (90)
UFPB (31)
UFPA-Marabá (29)
Polyana MAria MArtins,Vitoria Cristina Almeida, Iza Amorim JAnsen, Rafael Cunha, Thyago Lopes, Adriana, Helane GArcez, Regina Nayana, Luciano, Dryelle Patricia, Josielide França Ribeiro, Livia Camelo Almeida –UEMA


As delegações listadas abaixo estão além da margem dos 1.500 estudantes, por isso não garantimos os materiais como bolsa, caneca, caneta, bloco de notas:

UFMA e Particulares (23)
Itaberaba-BA (50)
UESPI(10)
Imperatriz-MA (41)
Unb Planaltina (21)
UFRRJ Seropédica (10)
UNIRIO (28)


* Os certificados serão garantidos para os participantes que se inscreverem.

INFORMAÇÕES IMPORTANTES PARA AS DELEGAÇÕES CONFIRMADAS

1 - É INDISPENSÁVEL que as pessoas que já pagaram tragam seus comprovantes ORIGINAIS de depósito. Não serão aceitas cópias.

2 - TOD@S que forem estudantes de Pedagogia devem trazer comprovantes de matrícula e RG. O encontro é deliberativo, e somente podem votar os estudantes de Pedagogia, embora pessoas de outros cursos possam participar das atividades.

3 - Solicitamos que os coordenadores de delegação concentrem a documentação das pessoas, bem como o valor das inscrições. Quatro pessoas credenciando quatro delegações é bem diferente de ter 200 em pé, esperando numa fila para serem atendidas.

Se tiverem dúvidas, perguntem. A hora é essa.
saudações libertárias!

domingo, 12 de julho de 2009

Trabalhos que ainda não foram enviadas as fichas de inscrições

Precisamos que os autores dos trabalhos listados abaixo nos enviem até terça-feira 14/07 as fichas de inscrições dos trabalhos para que possamos saber os dados dos mesmos e se vão precisar de alguns materiais de suporte para apresentação dos mesmos.

As fichas deverão ser encaminhadas para o e-mail da Comissão Científica:

trabalhosenepe2009@yahoo.com.br

1.“CONSTRUINDO A NOSSA CIDADANIA”

2.“MENINA BONITA DO LAÇO DE FITA” – UM RELATO DE EXPERIÊNCIA COM A LITERARATURA AFRO-BRASILEIRA EM UMA ESCOLA MUNICIPAL DE PETROLINA- PE”

3.A contribuição da escola na fragmentação da identidade do negro brasileiro: uma analise histórica

4.A DESCONSTRUÇÃO CONTRA A FILOSOFIA MERCENÁRIA (UMA CRÍTICA AO ENSINO DA FILOSOFIA UNIVERSITÁRIA)

5.A DIVERSIDADE QUE NOS CERCA

6. A EXPERIÊNCIA NO PROGRAMA DE VIVẼNCIA ESTUDANTIL CAMPONESA – PROCAMPO - EM COMUNIDADES TRADICIONAIS EM MUNICIPIOS DO PARÁ

7. A IGUALDADE E A LIBERDADE NA EDUCAÇÃO: POR UMA PEDAGOGIA LIBERTADORA

8. A LEITURA E A ESCRITA RESSIGNIFICANDO OS VALORES NA EDUCAÇÃO PRISIONAL.

9. A LIBRAS COMO INSTRUMENTO DE SOCIALIZAÇÃO E COMO A SEGUNDA LÍNGUA BRASILEIRA: UMA CONTRIBUIÇÃO PARA SURDOS E OUVINTES

10. A NEGAÇÃO DA NEGRITUDE BRASILEIRA NO ESPAÇO ESCOLAR

11. A PEDAGOGIA DE CELESTIN FREINET: UMA NOVA FORMA DE EDUCAR

12. A PRÁTICA PEDAGÓGICA DA REDE DE ESCOLAS FAMILIAS AGRÍCOLAS INTEGRADAS DO SEMIARIDO: CONHECENDO A PEDAGOGIA DA ALTERNÂCIA

13. ADOLESCENTES INFRATORES OU INFÂNCIA A PERIGO: O descaso governamental para crianças e adolescentes em situação de rua

14. ALGUNS CONCEITOS IMPORTANTES E PRESENTES NAS DISCUSSÕES SOBRE AS QUESTÕES ETNICO-RACIAIS EM EDUCAÇÃO

15. ANÁLISE DE UM CONTEXTO ESCOLAR E A ESFERA PÚBLICA DE ENSINO

16. APOIO PEDAGÓGICO POPULAR

17. AS CARÊNCIAS SOCIAIS E A EDUCAÇÃO INFANTIL

18. Betty Boop e Pucca: as representações do corpo da criança na escola

19. BIBLIOTECAS EM FAMÍLIAS DE MEIOS POPULARES: DESCRIÇÃO DO ESPAÇO FÍSICO DO ACERVO DE UMA “NOVA LEITORA” CONSTITUÍDO ENTRE AS DÉCADAS DE 60 E 90 DO SÉCULO XX.

20. Criando meu próprio livro - Uma Vivência em Classe Alfabetizadora.

21. EDUCAÇÃO AMBIENTAL: EXPERIÊNCIAS EM ESCOLAS PÚBLICAS DE PERIFERIA

22. EDUCAÇÃO DE JOVENS E ADULTOS NA EDUCAÇÃO CORPORATIVA

23. EDUCAÇÃO PRISIONAL: ENTRE O PRESCRITO E O VIVIDO NO PSME II

24. EMANCIPAÇÃO FREIRIANA – ESBOÇO CRÍTICO PARCIAL DA

PEDAGOGIA LIBERTÁRIA AOS ENGODOS DE PEDAGOGIAS SALVÍFICAS IDEOLÓGICAS

25. EMANCIPAR OU INSTRUMENTALIZAR?

26.FORMAÇÃO DE PROFESSORES E PRODUÇÃO DE MATERIAIS DIDÁTICO-PEDAGÓGICOS EM HISTÓRIA E CULTURA AFRO-BRASILEIRA E AFRICANA EM PETROLINA-PE

27. HIP HOP, EDUCAÇÃO E PARTICIPAÇÃO POLÍTICA NA PERIFERIA DE SOBRAL-CE

28. MINHAS MEMÓRIAS CONTAM NOSSA HISTÓRIA

29. O ENSINO DE HISTÓRIA NA EDUCAÇÃO INFANTIL EM ALGUMAS ESCOLAS DA CIDADE DO RECIFE.

30. O Negro no Espaço escolar: Considerações simbólicas do processo de exclusão

31. O PROBLEMA DA CONTRIBUIÇÃO ÉTICA E MORAL DO ENSINO RELIGIOSO PARA A FORMAÇÃO HUMANA

32. O RACISMO COMO INSTRUMENTO DA DESCONSTRUÇÃO DA IDENTIDADE NA POPULAÇÃO AFRO-DESCENDENTE

33. O RESGATE DE BRINCADEIRA POPULARES NA SALA DE AULA

34. O TRABALHO E SUAS IMPLICAÇÕES CAPITALISTA NA ESCOLA PÚBLICA DE GOIÂNIA

35. O USO DO TURNO DA NOITE PARA A EXPANSÃO DA EDUCAÇÃO.

36. OFICINA PEDAGÓGICA: RESGATANDO OS VALORES AMBIENTAIS NA PERIFERIA

37. OS PROJETOS DE TRABALHO E A DINÂMICA DOS CONTEÚDOS: UM PROCESSO LIBERTÁRIO DE ELABORAÇÃO CONCEPTUAL

38. PEDAGOGIA DO AFETO E VIVÊNCIAS CORPORAIS NOS ESPAÇOS ESCOLARES

39. PLANO DE AULA: A NECESSIDADE DIÁRIA DO PROFISSIONAL DA EDUCAÇÃO.

40. PREVENÇÃO DA HOMOFOBIA NA FORMAÇÃO DOCENTE

41. QUAL O PAPEL DO PROFESSOR DE GEOGRAFIA?

42. RÁDIO-ESCOLA: UM NOVO AMBIENTE PEDAGÓGICO DE EDUCAÇÃO

43. RÁDIOS INDEPENDENTES E A CONSTRUÇÃO DA COMUNICAÇÃO EM PROL DA EDUCAÇÃO

44. Reflexão sobre a Pedagogia Hospitalar em alguns hospitais da cidade do Recife: em respeito ao direito à educação da criança e do adolescente

45. RELAÇÕES INTERPESSOAIS NOS ESPAÇOS EDUCACIONAIS: INSTRUMENTO DE TRANSFORMAÇÃO SOCIAL

46. TRABALHO E EDUCAÇÃO – COMPREENDENDO ESTA RELAÇÃO ATRAVÉS DE VISITAS ÀS ESCOLAS TÉCNICAS DO RIO DE JANEIRO

47.TRABALHO NA CRIAÇÃO DO CENTRO DE MEMÓRIA DO CAP-UERJ - SEM FICHA DE INSCRIÇÃO

48.VIDA RURAL, VIDA ORAL E VIDA AFRICANA: a luta fundiária das comunidades quilombolas.

sexta-feira, 10 de julho de 2009

Reunião Virtual!!!

No próximo domingo, dia 12/07/09, às 14h, realizaremos uma reunião virtual com o intuito de organizarmos a vinda e a participação d@s estudantes para o 29º ENEPe.

O endereço do chat é: msngruop7336@hotmail.com

INSCRIÇÕES PARA MONITORIA NO 29º ENEPe

@s estudantes interessados em colaborar com a organização do 29º ENEPe desenvolvendo atividades juntamente com as comissões de organização do alojamento, alimentação, limpeza, segurança e alguma outra que se fizer necessário. Dentre essas modalidades estamos disponibilizando 100 vagas no total. Os estudantes que serão monitores terão direito a um certificado de participação como monitoria, além do certificado de participação normal do encontro.

Durante todo o encontro o monitor deve atuar no mínimo 1 turno por dia em regime de escala a serem estabelecidos mediante acordo entre os demais colaboradores, assim como com a CO do evento.

Estes estudantes deverão até o dia 17/07 se manifestar nos comentários do blog com nome completo e delegação, após data serão apenas feitas inscrições para monitoria no ato do credenciamento, dia 19/07.

NÃO HAVERÁ ISENÇÃO, desconto ou quaisquer formas de privilégios no valor da inscrição para as pessoas que serão monitoras.

Atenciosamente, Comissão de Organização do 29º ENEPe.

quarta-feira, 8 de julho de 2009

DELEGAÇÕES COM PRIORIDADES

Até o momento apenas as seguintes delegações mandaram as listas e por isso possuem vagas:
Particulares da Bahia (44 pessoaas)
Distrito federal (68),
Serrinha (15);
UNIFESP (31);
UNEB CAmpus I (30);
UFF/NIteroi (17),
Vitoria da Conquista (30);
UERJ (01);
UEFS(23);
UFPA (21),
Feira de Santana (26);
UERJ/Maracanã (49);
UNEB VII/Senhor do Bonfim (30);
UFT-Tocantins (18);
Pará(10);
FEBF/UERJ(32);
UFS(5);
Juazeiro (9);
UFC (29)
UFAL (13);
Marcos e Amanda; keila lima Mathias; ELANE CARVALHO DE OLIVEIRA;
Gabriel Marques (RJ);

Totalizando 506 pessoas com prioridade até o momento, restam ainda: 94 Vagas com alojamento

Confiram e continuem mandando......

Abraços!

sexta-feira, 3 de julho de 2009

LIMITE DE INSCRIÇÕES

Informamos a tod@s que já temos 900 inscrit@s para o Encontro Nacional de Estudantes de Pedagogia.

O espaço de que dispomos na Universidade Federal de Pernambuco não comporta mais que 1.500. As inscrições via conta estão encerradas, como tod@s sabem. Portanto, solicitamos aos coordenadores(as) de delegação que nos enviem até o final dessa terça 07/07 as listas completas com os nomes das pessoas que virão ao encontro, quem já pagou e de quem vai pagar na hora, para que saibamos o número exato de pessoas que virão e possamos planejar onde alojá-las.

Enviem para:

inscricaoenepe29@yahoo.com.br


IMPORTANTÍSSIMO: só nos responsabilizamos por alojamento e alimentação para 1.500 pessoas. Portanto, entreguem estas listas o quanto antes.


Saudações, Comissão de Organização do 29º ENEPe.

quarta-feira, 1 de julho de 2009

Sobre as inscrições



PRAZO DE INSCRIÇÃO NO 29° ENEPe -

URGENTE!
Observações sobre valores, prazos e procedimentos

1 - Em virtude de solicitações feitas por algumas delegações, inscrições com alimentação no valor de R$ 90,00 serão aceitas até o final do horário bancário de HOJE 02/07/09 (quinta-feira). NÃO INSISTAM, JÁ TEMOS PROBLEMAS DEMAIS, ASSIM COMO PRAZOS SOBRE A VIABILIZAÇÃO DAS ESTRUTURAS PARA CUMPRIR.

2 - A conta será bloqueada a partir de 03/07(sexta-feira), e novas inscrições serão aceitas apenas no ato do credenciamento, dia 19/07, nos valores de R$ 110,00 com alimentação e R$ 60,00 sem alimentação, conforme publicado no edital desde o dia 18/03/09.

3 – NÃO HAVERÁ ISENÇÃO, desconto ou quaisquer formas de privilégios para as pessoas que apresentarão trabalhos. Este encontro não é meramente acadêmico; logo, a apresentação de trabalhos não é determinante para a participação. Assim, desconsideramos argumentos em torno disso.

4 - As fichas de inscrição - e peço a vocês que só enviem quem já pagou a inscrição e sem esquecer de colocar o nº do depósito - deve ser enviada apenas para o seguinte e-mail:

inscricaoenepe29@yahoo.com.br


5 – Até o presente momento, estes são os encaminhamentos possíveis de ser feitos. Caso haja quaisquer mudanças, diante da dinâmica intensa de fim de percurso, comunicaremos o mais breve possível. Fiquem atent@s!

Disponibilizamos novamente o link com os arquivos da ficha de inscrição, programação, cartaz e o projeto do encontro para baixar:

http://www.4shared.com/dir/15004770/db8828bd/sharing.html



Agradecemos a compreensão e colaboração indispensáveis.

Comissão de organização.

sábado, 27 de junho de 2009

CARAVANAS DOS ESTADOS PARA O 29º ENEPe - INFORMAÇÕES IMPORTANTES

Socialização de informações sobre os ônibus que virão pro 29º ENEPe...

Saudações!!!

Esta postagem é exclusiva para que as pessoas responsáveis pela organização dos ônibus que trarão as delegações pro 29º ENEPe, deixem aqui informações sobre vagas que estejam sobrando nos ônibus e outras que sejam importantes para vinda do máximo de pessoas interessadas.

Existem estudantes que não estão participando da organização de nenhum ônibus, mas que têm interesse em participar do ENEPe deste ano.

Por isso é importante que as pessoas responsáveis pela organização dos ônibus divulguem seus contatos pra que quem ainda não tem transporte pra chegar a Pernambuco possa se comunicar com essas organizadoras.

Abaixo seguem alguns destes contatos - vão mandando pra ampliarmos:

Saudações Libertárias!!!


Caravana de Brasília para o 29º ENEPe

Ciro Jordano: 8149-8984 – ciiirooo@gmail.com
Wesley Oliveira: 9164-8729 – wesley.unb@hotmail.com
Joel Alexandre: 9674-2616 – joelalexandre.df@gmail.com
Rafael Ayan: 9333-6810 – ayanunb@gmail.com

Valor: R$ 260,00 (duzentos e sessenta reais), ou uma de R$ 130,00 em
dinheiro e um cheque de R$ 130,00 para até 10/07/2009.

terça-feira, 23 de junho de 2009

LISTA DOS TRABALHOS PRIORITÁRIOS

Segue abaixo a lista de trabalhos a serem prioritariamente apresentados no 29º ENEPe. Falamos prioritários tendo em vista nossas limitações físicas - em breve, após confirmação de maior estrutura física para apresentação de trabalhos, divulgamos mais alguns de acordo com nossas previsões estruturais.

Segue também, para download, a CARTA DE ACEITE. Como muitas sabem, é importante apresentá-la em suas instituições de origem para reivindicar apoio para suas respectivas participações.

Os títulos que constam nesta lista, solicitamos que possam nos comunicar sobre quaisquer modificações na proposta ou quaisquer outras informações importantes para apresentação de seus trabalhos.

De modo geral, iremos nos comunicar com os proponentes dos trabalhos para acertos pendentes.

Link para baixar a carta de aceite:
http://www.4shared.com/dir/15004770/db8828bd/sharing.html


Relação dos trabalhos prioritários


ESTUDOS HISTÓRICOS (Comunicações orais)


1. CONSIDERAÇÕES ACERCA DA EDUCAÇÃO NATURAL DE ROUSSEAU: A CATEGORIA “HOMEM LIVRE” E SUA FORMAÇÃO
2 A EDUCAÇÃO DE CRIANÇAS COMO PRÁTICA LIBERTÁRIA
3. A contribuição da escola na fragmentação da identidade do negro brasileiro: uma analise histórica.
4. BIBLIOTECAS EM FAMÍLIAS DE MEIOS POPULARES: DESCRIÇÃO DO ESPAÇO FÍSICO DO ACERVO DE UMA “NOVA LEITORA” CONSTITUÍDO ENTRE AS DÉCADAS DE 60 E 90 DO SÉCULO XX.
5. TRABALHO NA CRIAÇÃO DO CENTRO DE MEMÓRIA DO CAP-UERJ
6. “DE PÉ NO CHÃO TAMBÉM SE APRENDE A LER, ESCREVER E PENSAR:
A história que a escola e os livros didáticos não contam
7 . POLÍTICAS EDUCACIONAIS DO REGIME MILITAR
8. ESCOLA NORMAL NO BRASIL: UMA LONGA TRAJETÓRIA
9. FORMAÇÃO DE PROFESSORES E PRODUÇÃO DE MATERIAIS DIDÁTICO-PEDAGÓGICOS EM HISTÓRIA E CULTURA AFRO-BRASILEIRA E AFRICANA EM PETROLINA-PE
10. A história do Movimento Estudantil da UERJ: espaçotempo de formação e produção de conhecimento
11. O ACERVO FOTOGRÁFICO DA UERJ: A TRAJETÓRIA DE UM PROFESSOR NEGRO NA UNIVERSIDADE
12. A literatura presente nas narrativas orais dos quilombolas de Quatis
13. O USO DO TURNO DA NOITE PARA A EXPANSÃO DA EDUCAÇÃO.
14. DO LADO BOM DA BARREIRA: TRAJETÓRIAS E ESTRATÉGIAS SOCIAIS E ESCOLARES DE RAYMUNDO AUGUSTO DA SILVA MAIA (1900-1990)
15. Um olhar Negro e Rural para a Educação Popular no Brasil
16. HISTÓRIA DAS EXPERIÊNCIAS ARTÍSTICAS E PEDAGÓGICAS DOS ANARQUISTAS: A EDUCAÇÃO E O TEATRO ANARQUISTAS
17. A FEMINIZAÇÃO DO MAGISTÉRIO NO MUNICÍPIO DE NOVA IGUAÇU, NA PRIMEIRA METADE DO SÉIVAÇÃO DE LIBERDADE: DIREITO A CIDADANIA EM MEIO A GRADESCULO XX.
18. LINHAS GERAIS SOBRE A FORMAÇÃO DOS ESPAÇOS ESCOLARES CARIOCAS NOS ANOS 20/30


GÊNEROS, DIVERSIDADE E ORIENTAÇÃO SEXUAL (comunicações orais)



1. O Negro no Espaço escolar: Considerações simbólicas do processo de exclusão
2. O PROBLEMA DA CONTRIBUIÇÃO ÉTICA E MORAL DO ENSINO RELIGIOSO PARA A FORMAÇÃO HUMANA
3. O RACISMO COMO INSTRUMENTO DA DESCONSTRUÇÃO DA IDENTIDADE NA POPULAÇÃO AFRO-DESCENDENTE
4. POLITICAS AFIRMATIVAS E A IMPLANTAÇÃO DE COTAS PARA NEGROS NAS UNIVERSIDADES PÚBLICAS FEDERAIS BRASILEIRAS.
5. Revendo os conceitos: Por uma educação não sexista
6. SEXUALIDADE, GÊNERO E EDUCAÇÃO EM UM CURSO DE FORMAÇÃO DE PROFESSORES.
7. O INGRESSO DE ESTUDANTES INDÍGENAS NA UNIVERSIDADE: AÇÕES AFIRMATIVAS E REPRESENTATIVIDADE
8. TRABALHANDO HISTÓRIAS AFROBRASILEIRAS:Democratização dos espaços escolares
9 A IMPORTÂNCIA DA EDUCAÇÃO ESPECIAL E INCLUSIVA NA FORMAÇÃO INICIAL DOS PROFESSORES
10. A NEGAÇÃO DA NEGRITUDE BRASILEIRA NO ESPAÇO ESCOLAR
11. ALGUNS CONCEITOS IMPORTANTES E PRESENTES NAS DISCUSSÕES SOBRE AS QUESTÕES ETNICO-RACIAIS EM EDUCAÇÃO
12.CULTURA POPULAR E ESCOLA: O CONFLITO DAS RELAÇÕES
13. DISCURSOS DOCENTES: PROBLEMATIZANDO OS CURSOS DE FORMAÇÃO DE PROFESSOR E A FORMAÇÃO DOCENTE EM RELAÇÃO À DIVERSIDADE SEXUAL
14. DISCUTINDO AS QUESTÕES DE GÊNERO NO CURSO DE PEDAGOGIA DA UFPB: entre o desejo e a realidade.
15. DIVERSIDADE CULTURAL E EDUCAÇÃO: PERSPECTIVAS DE TRANSFORMAÇÃO SOCIAL

ESPAÇOS ESCOLARES E NÃO-ESCOLARES (comunicações orais)



1. De um tempo-lugar para o mesmo lugar-tempo
2. A GESTÃO DEMOCRÁTICA COMO MECANISMO DE QUALIDADE NO CONTEXTO EDUCACIONAL
3. a criança e a cidade: A EScRITA DA CIDADE NOS ESPAçOS INFANTIS
4. EDUCAÇÃO NO TERREIRO E O TERREIRO NA EDUCAÇÃO: INTERFERÊNCIAS NA CONSTRUÇÃO SUBJETIVA
5. Práticas de Ensino na escola indígena Guarani
6. A Indústria Cultural para Adorno e Horkheimer - Cruzamentos com Foucault: algumas questões para escola hoje.
7. REFLETINDO SOBRE NOVAS PROPOSTAS DE EDUCAÇÃO NO AMBIENTE HOSPITALAR: O APOIO DE RECUROS TECNOLÓGICOS
8. PEDAGOGIA DO AFETO E VIVÊNCIAS CORPORAIS NOS ESPAÇOS ESCOLARES

EDUCAÇÃO E TECNOLOGIA (Comunicação oral)


1. A VIRTUALIZAÇÃO DO MUNDO: (RES) SIGNIFICANDO ESPAÇO E TEMPO (com. oral)
2. FUTURO: MEDIDAS POLÍTICO-SOCIAIS
E A INFLUENCIA DAS NOVAS TECNOLOGIAS EDUCACIONAIS
3. PUBLICIDADE E EDUCAÇÃO: O PODER PEDAGOGIZADOR DOS ANÚNCIOS TELEVISIVOS E SEUS REFLEXOS EM SALA DE AULA
4. RÁDIOS INDEPENDENTES E A CONSTRUÇÃO DA COMUNICAÇÃO EM PROL DA EDUCAÇÃO


EDUCAÇÃO E TRABALHO (comunicação oral)


1. A DISCIPLINA TRABALHO E EDUCAÇÃO E A FORMAÇÃO DO/A PEDAGOGO/A
2. O NOVO CURRÍCULO DO CURSO DE PEDAGOGIA, UMA ANÁLISE MARXISTA SOBRE A PROBLEMÁTICA
3. O TRABALHO E SUAS IMPLICAÇÕES CAPITALISTA NA ESCOLA PÚBLICA DE GOIÂNIA
4. A NOVA INSTITUCIONALIDADE DA EDUCAÇÃO PROFISSIONAL NO BRASIL: O PROJETO ESCOLA DE FÁBRICA
5. TRABALHO E EDUCAÇÃO – COMPREENDENDO ESTA RELAÇÃO ATRAVÉS DE VISITAS ÀS ESCOLAS TÉCNICAS DO RIO DE JANEIRO
6. A UTILIZAÇÃO DO TRABALHO E DA EDUCAÇÃO COMO INTRUMENTOS DE CONTROLE, DOMINAÇÃO E EXPLORAÇÃO
7. A RELAÇÃO TRABALHO EDUCAÇÃO
8.O PROGRAMA DE PROMOÇÃO DA REFORMA EDUCATIVA NA AMÉRICA LATINA E CARIBE E POLÍTICA NEOLIBERAL – ANÁLISE DOCUMENTAL BIBLIOOGRÁFICA

EDUCAÇÃO E ESTADO (comunicação oral)


1. QUANDO A EDUCAÇÃO FORMAL É INFORMAL:
uma análise das escolas numa comunidade popular de Imperatriz.
2. SENTIMENTOS TRANSMITIDOS PELAS MÃOS – LIBRAS E O ESTADO
3. PRECONCEITOS VS IGUALDADES: A IMPORTÂNCIA DA EDUCAÇÃO, POLÍTICAS PÚBLICAS E AÇÕES AFIRMATIVAS; PARA SUPERAÇÃO DAS MAZELAS HISTÓRICAS VIVIDAS PELAS ‘MINORIAS.
4. O DIREITO AO ENSINO FUNDAMENTAL E SUA EFETIVIDADE NO SISTEMA BRASILEIRO
5. RESPONSABILIDADE SOCIAL: ELEMENTOS PARA O DEBATE ACERCA DA NOVA PEDAGOGIA DA HEGEMONIA NO ENFRENTAMENTO DA “QUESTÃO SOCIAL” NO BRASIL CONTEMPORÂNEO
6. A ATUAÇÃO DO ESTADO PARA O DELINEAMENTO DA EDUCAÇÃO SUPERIOR NO BRASIL E NO PARÁ VIA FINANCIAMENTO DA PESQUISA
7. A desconstrução contra a filosofia mercenária
(Uma crítica ao ensino da filosofia universitária)
8. A UTILIZAÇÃO DO TRABALHO E DA EDUCAÇÃO COMO INSTRUMENTOS DE CONTROLE, DOMINAÇÃO E EXPLORAÇÃO
9. Escolarização em conflito; um estudo sobre a relação
10. ESPAÇOS DE PRIVAÇÃO DE LIBERDADE: DIREITO A CIDADANIA EM MEIO A GRADES NO SÉCULO XX.
11. POLÍTICAS PÚBLICAS PARA A EDUCAÇÃO BÁSICA DAS CLASSES POPULARES E A REALIDADE DE EXPERIÊNCIAS DOS SUJEITOS DA EDUCAÇÃO DO CAMPO EM BASES DA ALTERNÂNCIA.


TEORIAS DA EDUCAÇÃO LIBERTÁRIA (Comunicação oral)


1. CONTROLE E DISCIPLINA ATRAVÉS DO DIALOGO: PERSPECTIVAS DE EMANCIPAÇÃO Á ADOLESCENTES EM CONFLITO COM A LEI
2. A PEDAGOGIA DE CELESTIN FREINET: UMA NOVA FORMA DE EDUCAR
3. AVALIAÇÃO NOS AMBIENTES DE APRENDIZAGEM: UMA PRÁTICA DE PUNIÇÃO E CONTROLE OU DE FORMAÇÃO E DESENVOLVIMENTO.
4. OS PROJETOS DE TRABALHO E A DINÂMICA DOS CONTEÚDOS: UM PROCESSO LIBERTÁRIO DE ELABORAÇÃO CONCEPTUAL
5. A DESCONSTRUÇÃO CONTRA A FILOSOFIA MERCENÁRIA (UMA CRÍTICA AO ENSINO DA FILOSOFIA UNIVERSITÁRIA)
6. EMANCIPAÇÃO FREIRIANA – ESBOÇO CRÍTICO PARCIAL DA PEDAGOGIA LIBERTÁRIA AOS ENGODOS DE PEDAGOGIAS SALVÍFICAS IDEOLÓGICAS
7. ESTRATÉGIAS ANARQUISTAS - POR UMA EDUCAÇÃO POR VIR (uma breve introdução)
8. A IGUALDADE E A LIBERDADE NA EDUCAÇÃO: POR UMA PEDAGOGIA LIBERTADORA
9. QUAL O PAPEL DO PROFESSOR DE GEOGRAFIA?
10. EDUCAÇÃO DE JOVENS E ADULTOS NA EDUCAÇÃO CORPORATIVA
EMANCIPAR OU INSTRUMENTALIZAR?

OFICINAS (geral)


1. O LÚDICO NO EMSINO DE MÚLTIPLOS E DIVISORES: GEOMETRIA PLANA COM QUEBRA-CABEÇAS
2. O RESGATE DE BRINCADEIRA POPULARES NA SALA DE AULA
3. ORIGAMI
4. Confecção de Fanzines
5. “CONSTRUINDO A NOSSA CIDADANIA”
6. CONTOS E LENDAS AFRODESCENDENTES
7. OFICINA DE FANZINE: UM REBULIÇO NO MOVIMENTO ESTUDANTIL DE
8. PEDAGOGIA ATRAVÉS DO FANZINE.
9. A LEITURA E A ESCRITA RESSIGNIFICANDO OS VALORES NA EDUCAÇÃO PRISIONAL.
10. Teatro de Meia
11. Contação de histórias: uma forma de expressão
12.Uso de Tecnologias Assistivas no processo educacional de pessoas com deficiência motora e/o intelectual.
13. MINHAS MEMÓRIAS CONTAM NOSSA HISTÓRIA
14. OFICINA PEDAGÓGICA: RESGATANDO OS VALORES AMBIENTAIS NA PERIFERIA
15. PREVENÇÃO DA HOMOFOBIA NA FORMAÇÃO DOCENTE
16. AS CARÊNCIAS SOCIAIS E A EDUCAÇÃO INFANTIL
17. A DIVERSIDADE QUE NOS CERCA
18. A LIBRAS COMO INSTRUMENTO DE SOCIALIZAÇÃO E COMO A SEGUNDA LÍNGUA BRASILEIRA: UMA CONTRIBUIÇÃO PARA SURDOS E OUVINTES
19. O PAPEL POLÍTICO DO PROFESSOR NA FORMAÇÃO DA IDENTIDADE DA CRIANÇA

RELATOS DE EXPERIÊNCIA (geral)


1. PLANO DE AULA: A NECESSIDADE DIÁRIA DO PROFISSIONAL DA EDUCAÇÃO.
2. A EDUCAÇÃO DO CAMPO EM MACAÍBA. UMA REALIDADE?
3. A EDUCAÇÃO DO MST COMO PRINCÍPIO FORMADOR DE NOVOS SUJEITOS
4. ADOLESCENTES INFRATORES OU INFÂNCIA A PERIGO: O descaso governamental para crianças e adolescentes em situação de rua
5. ANÁLISE DE UM CONTEXTO ESCOLAR E A ESFERA PÚBLICA DE ENSINO
6. Criando meu próprio livro - Uma Vivência em Classe Alfabetizadora.
7. RÁDIO-ESCOLA: UM NOVO AMBIENTE PEDAGÓGICO DE EDUCAÇÃO - A ONG Catavento comunicação e educação e o Projeto Segura Essa Onda.
8. HIP HOP, EDUCAÇÃO E PARTICIPAÇÃO POLÍTICA NA PERIFERIA DE SOBRAL-CE
9. “MENINA BONITA DO LAÇO DE FITA” – UM RELATO DE EXPERIÊNCIA COM A LITERARATURA AFRO-BRASILEIRA EM UMA ESCOLA MUNICIPAL DE PETROLINA- PE
10. Reflexão sobre a Pedagogia Hospitalar em alguns hospitais da cidade do Recife: em respeito ao direito à educação da criança e do adolescente
11. O ENSINO DE HISTÓRIA NA EDUCAÇÃO INFANTIL EM ALGUMAS ESCOLAS DA CIDADE DO RECIFE.
12. A EXPERIÊNCIA NO PROGRAMA DE VIVẼNCIA ESTUDANTIL CAMPONESA – PROCAMPO - EM COMUNIDADES TRADICIONAIS EM MUNICIPIOS DO PARÁ
13. RELAÇÕES INTERPESSOAIS NOS ESPAÇOS EDUCACIONAIS: INSTRUMENTO DE TRANSFORMAÇÃO SOCIAL
14. APOIO PEDAGÓGICO POPULAR
15.ACESSE SEU SITE INTERIOR ATRAVÉS DE UMA LINGUAGEM UNIVERSAL.
16.RÁDIOS INDEPENDENTES E A CONSTRUÇÃO DA COMUNICAÇÃO EM PROL DA EDUCAÇÃO
17. A PRÁTICA PEDAGÓGICA DA REDE DE ESCOLAS FAMILIAS AGRÍCOLAS INTEGRADAS DO SEMIARIDO: CONHECENDO A PEDAGOGIA DA ALTERNÂCIA.
18. Betty Boop e Pucca: as representações do corpo da criança na escola
19. EDUCAÇÃO PRISIONAL: ENTRE O PRESCRITO E O VIVIDO NO PSME II
20. Mobilização Social dos moradores da Horta Comunitária a respeito da construção de um viveiro de mudas nativas para reflorestamento
21. EDUCAÇÃO AMBIENTAL: EXPERIÊNCIAS EM ESCOLAS PÚBLICAS DE PERIFERIA
22. CULTURA POPULAR E ESCOLA: O CONFLITO DAS RELAÇÕES
23. NÃO TE APEGA! POSTURAS AFETIVAS DE ALUNAS CONTEMPORÂNEAS
24. VIDA RURAL, VIDA ORAL E VIDA AFRICANA: a luta fundiária das comunidades quilombolas.
25. FORMAÇÃO DE PROFESSORES E PRODUÇÃO DE MATERIAIS DIDÁTICO-PEDAGÓGICOS EM HISTÓRIA E CULTURA AFRO-BRASILEIRA E AFRICANA EM PETROLINA-PE
26. RÁDIO-ESCOLA: UM NOVO AMBIENTE PEDAGÓGICO DE EDUCAÇÃO



TOTALIZAÇÃO DOS TRABALHOS PRIORITÁRIOS:


Comunicações orais: 75
Relatos de experiências: 26
Oficinas: 18



Atenciosamente,
Comissão Organizadora.

segunda-feira, 22 de junho de 2009

APRESENTAÇÃO DE TRABALHOS

LISTA COM TÍTULOS DOS TRABALHOS A SEREM APRESENTADOS NO ENEPe SERÁ DIVULGADA NESTA TERÇA-FEIRA (23/06/2009) POR VOLTA DAS 12H.

Após confirmação de algumas pendências burocráticas ainda nesta segunda-feira (22/06/2009) com a UFPE a respeito de alojamento, demais estruturas disponíveis e outros apoios solicitados a esta instituição, espera-se (nos próximos dias) poder , finalmente, divulgar esta tão esperada lista, assim como outras informações importantes pendentes até então.

Sem mais, agradecemos vossa compreensão e colaboração libertárias.

Saudações!

quarta-feira, 27 de maio de 2009

Vídeo I: 29º ENEPe - 19 a 25 de julho - Recife/PE | UFPE

Disponibilizamos novamente o link com os arquivos da ficha de inscrição, programação, edital de trabalhos, vídeos e o projeto do encontro para baixar:

http://www.4shared.com/dir/15004770/db8828bd/sharing.html

Saudações Libertárias!!!

quinta-feira, 21 de maio de 2009

PRORROGAÇÃO DO PRAZO DE INSCRIÇÃO DE TRABALHOS!!!

Saudações a tod@s!!!

Informamos que o prazo de inscrição de trabalhos foi prorrogado até o dia 31 de maio de 2009.
A data certa é essa. Ela foi definida pela comissão científica desse 29ª ENEPe.

Antes de enviarem os trabalhos, leia atentamente o edital de inscrição de trabalho.
Percebemos muito erros nos envios dos trabalhos. Em outros encontros acadêmcios, como o EPENN, por exemplo, os erros cometidos acarretariam na eliminação imediata do trabalho de vcs.

Para enviar trabalhos para o 29º ENEPe, NÃO É NECESSÁRIO PAGAR PRIMEIRO A INSCRIÇÃO, como também NÂO É NECESSÁRIO ENVIAR A FICHA DE INSCRIÇÃO AGORA.

Os resumos dos trabalhos e os trabalhos completos devem ser enviado apenas para o seguinte e-mail: trabalhosenepe2009@yahoo.com.br


As fichas de inscrição - e peço a vocês que só envie quem já pagou a inscrição e sem esquecer de colocar o nº do depósito - deve ser enviada apenas para o seguinte e-mail:
inscricaoenepe29@yahoo.com.br

Se tiverem dúvidas enviem e-mails para: cmg.pedagogo@gmail.com

Disponibilizamos novamente o link com os arquivos da ficha de inscrição, programação, edital de trabalhos e o projeto do encontro para baixar:
http://www.4shared.com/dir/15004770/db8828bd/sharing.html


Saudações Libertárias!!!

quarta-feira, 13 de maio de 2009

Novas datas das inscrições para participação no 29º ENEPe!!!

Saudações Pedagog@s!!!

Houve alteração no período de inscrição para participação no 29º ENEPe.

Os novos prazos são os seguintes:
Até o dia 26 de junho as incrições terão os seguintes valores:

Com alimentação R$ 90,00.
Sem alimentação R$ 60,00.

Depois desse prazo as inscrições só serão feitas no dia do credenciamento (19/07) e com os seguintes valores:

Com alimentação R$ 110,00.
Sem alimentação RS 60,00.

Outra alteração feita nas fichas de inscrição, tanto na COM apresentação de trabalhos, como na SEM apresentação de trabalho, foi com relação a indicação de alguma deficiencia que alguns dos participantes tenham. É para que nós da organização possamos atendê-los da melhor forma possível. Peço desculpas se escrevi algum termos errado. Não foi de propósito ou por preconceito.

Disponibilizamos novamente o link com os arquivos da ficha de inscrição, programação, edital de trabalhos e o projeto do encontro para baixar:

http://www.4shared.com/dir/15004770/db8828bd/sharing.html

Saudações Libertárias!!!

quinta-feira, 30 de abril de 2009

Disponível link para documentos importantes...

Bom dia à Tod@s!


Segue abaixo o link da página com os arquivos do edital de trabalhos, projeto e procedimentos das inscrições para o 29° ENEPe. É só abrir o link e baixar os arquivos.


http://www.4shared.com/dir/15004770/db8828bd/sharing.html

terça-feira, 28 de abril de 2009

Correção da data do 29º ENEPe!!!

Só para esclarecer a tod@s que têm interesse em participar do ENEPe deste ano.

A confusão com relação as datas do encontro ocorreram por distração minha (Clodoaldo).

Já fiz as devidas correções. Com isso, o período certo em que o 29º ENEPe vai acontecer é do dia 19 a 25 de julho de 2009.

Peço-lhes desculpas pela confusão causada.

Saudações Libertárias!!!

sexta-feira, 24 de abril de 2009

Explicações gerais sobre o 29º ENEPe!!!

Saudações a tod@s Pedagog@s !!!

Postamos o projeto do 29º ENEPe, o edital de inscrição de trabalhos reformulado e as fichas de inscrição no encontro, COM e SEM apresentação de trabalhos, para responder às diversas dúvidas que deixamos nos ar desde o dia 18/03/09.

Esperamso ter respondido a todas elas. Caso isso não tenha acontecido, estamos a postos pra esclarecer e tentar responder as novas dúvidas que possam surgir.

Os documentos mostrados no blog podem ser conseguidos em forma de arquivos através da lista nacional d@s estudantes de Pedagogia, ou então vcs podem mandar e-mails pra cmg.clodoaldo@gmail.com, solicitando esses documentos.

Nos próximos dias esperamos disponibilizá-los aqui no blog num formato em que vcs possam baixá-los.

Pedimos desculpas pela demora, mas infelizmente diversas coisa nos atrapalharam.

A prosposta de programação elaborada até o presente momento, também pode ser conseguida através da lista nacional e do e-mail já mencionado acima.

É importante que vcs olhem com atenção a programação porque propomos pra esse próximo domingo, dia 26/04/09, às 14hs uma reunião virttual para discutir e encaminhar a finalização da programação desse 29º ENEPe.

Por enquanto é isso.

Saudações libertárias!!!

Procedimento das inscrições no 29º ENEPe!!!

Procedimentos de inscrição do 29º ENEPE

Comissão Organizadora do XXIX ENEPe
Executiva Pernambucana de Estudantes de Pedagogia
XXIX Encontro Nacional dos/as Estudantes de Pedagogia – Recife
19/07/09 a 25/07/09

As inscrições para participação no 29º ENEPe estão divididas em dois períodos. São eles:
a) O primeiro período de inscrição vai do dia 27 de abril ao dia 26 de junho. Os valores das inscrições durante esse período são: R$ 90,00 com alimentação e R$ 60,00 sem alimentação. Lembrando que há a possibilidade dos participantes contribuírem com R$ 10,00 ou mais para ajudar a abater a dívida ocasionada gerada com a organização do 28º ENEPe. Até o início do encontro procuraremos divulgar com exatidão quanto está essa dívida no momento.
b) O segundo período será no dia 19 de julho no local do credenciamento. Nesse período os valores serão os seguintes: R$ 110,00 com alimentação e R$ 60,00 sem alimentação. Lembrando que a contribuição para abatimento da dívida do 28º ENEPe continua valendo nesse período.
c) Os depósitos devem ser feitos ÚNICA e EXCLUSIVAMENTE na BOCA DO CAIXA.
d) A conta é a seguinte:
AGÊNCIA: 3613-7
CONTA POUPANÇA: 31.757-8
VARIAÇÃO: 01
BANCO DO BRASIL
NOMINALMENTE PARA: CLODOALDO MARQUES GOMES

e) NENHUM depósito feito em caixa eletrônico será aceito. Portanto, façam as inscrições, na medida do possível, com antecedência, pois será necessário enfrentar fila de banco pra realizar o depósito na BOCA DO CAIXA. O comprovante de depósito deve ser entregue no ato do credenciamento no dia 19/07/09 e o nº. do depósito deve ser informado na ficha de inscrição.
f) Só serão aceitas as inscrições feitas dentro dos períodos estabelecidos respeitando seus respectivos valores.
g) Após fazerem o depósitos os participantes deverão preencher completamente a ficha de inscrição do 29º ENEPe, que segue anexa a esse projeto, a qual também deve ser enviada obedecendo aos mesmos prazos das inscrições;
h) Os valores das inscrições serão os mesmos para as pessoas que irão apresentar trabalhos;
i) A inscrição no 29º ENEPE dará direito a:
· Bolsa contendo: caneta, bloco, caneca e regimento do encontro;
· Certificado e crachá;
· Alojamento;
· 6 (seis) cafés da manhã; 5 (cinco) almoços e 6 (seis) jantas; Nesse caso é exclusivo para quem pagar a inscrição com alimentação.
· Acesso a todas as plenárias, debates, apresentações culturais e apresentações de trabalhos;
j) As (os) estudantes que apresentarão trabalhos não terão isenção nem abatimento na taxa de inscrição.
k) As fichas de inscrição, COM ou SEM apresentação de trabalhos, devem ser devidamente preenchidas e enviadas para o seguinte e-mail: inscricaoenepe29@yahoo.com.br
l) Os dois modelos de fichas de inscrição seguem anexadas a este documento.

FICHA DE INSCRIÇÃO (COM TRABALHO)

Comissão Organizadora do XXIX ENEPe
Executiva Pernambucana de Estudantes de Pedagogia
XXIX Encontro Nacional dos/as Estudantes de Pedagogia – Recife
19/07/09 a 25/07/09

1. - Dados Pessoais:

1.1 - Nome*:
1.2 - Telefone:
1.3 - Cidade/Estado*:
1.4- Instituição*:
1.7 – E-mail*:
* Indispensáveis

2- Do trabalho:

2.1 – Nome do Trabalho:
2.2 - ( ) Pesquisa ( ) Extensão
2.3 - Formato de Apresentação do Trabalho:
( ) Relato de experiência ( ) Comunicação Oral
Oficina em: ( ) Escola; ( ) Espaços não-escolares; ( ) Sede do Encontro
( ) Quantidade de público participante da oficina
2.4 – Material didático necessário para apresentação:

2.5 – Eixo temático (favor assinalar com um X):
( ) Educação libertária;
( ) Estudos históricos;
( ) Relação entre educação e Estado;
( ) Educação e trabalho;
( ) Espaços escolares e não-escolares de educação;
( ) Educação e novas tecnologias.
( ) Gênero, diversidade e orientação sexual

2.6 – Título (s) do trabalho (s):

3.Informações Indispensáveis para ajudar a Comissão Organizadora:

3.1 – Tipo de alojamento que vai utilizar no 29º ENEPe:

( ) Quadra(alojamento da sede) ( ) Barraca de camping (haverá um espaço exclusivo para esse tipo de alojamento dentro da sede do encontro)
( )Hotel/Pousada (esta opção não é de responsabilidade da comissão organizadora, mas poderemos dar indicativos de locais). ( ) Outros (também sem ser da responsabilidade da organização do encontro)
3.2 – Você é vegetariana (o)?

( ) Sim ( ) Não

3.3 – Você possui alguma deficiência?

( ) Auditiva ( ) Visual ( ) Motora ( ) outra (especifique)_____________________

3.4 – Necessita de algum tipo de apoio? Qual?

( ) Sim ( ) Não

Especificar: _______________________________________________________

4. Pagamento das inscrições:

4.1 – Os depósitos devem ser feitos EXCLUSIVAMENTE na boca do caixa e nominalmente para CLODOALDO MARQUES GOMES. Agencia: 3613-7 Conta Poupança: 31.757-8 variação 01 – BANCO DO BRASIL. Guardem o comprovante de depósito, pois a apresentação do mesmo será exigida na hora do credenciamento.

4.2 – O valor das inscrições são os seguintes:

( ) R$ 90,00 com alimentação ( ) R$ 100,00 com alimentação*
( ) R$ 60,00 sem alimentação ( ) R$ 70,00 sem alimentação*

* Esses valores são sugestões para as pessoas que querem contribuir com abatimento da dívida do 28º ENEPe.

N° do Depósito:

4.3 – Período das inscrições:

As inscrições para o 29º ENEPe estão organizadas da seguinte forma: do dia 27/04 ao dia 26/06 inscrição com alimentação custará R$ 90,00 e sem alimentação custará R$ 60,00.
Após esse prazo as inscrições só poderão ser feitas na hora do credenciamento no dia 19/07/09. Sendo que a inscrição com alimentação passará a custar R$ 110,00 e a sem alimentação permanecerá custando R$ 60,00.


FICHA DE INSCRIÇÃO PARA PARTICIPAÇÃO NO 29º ENEPE.

Comissão Organizadora do XXIX ENEPe
XXIX Encontro Nacional dos/as Estudantes de Pedagogia – Recife
19/07/09 a 25/07/09

1. - Dados Pessoais:

1.1 - Nome:______________________________________________________
1.2 – Instituição: __________________________________________________
11.4 – RG/CPF: ___________________________________________________
1.8 – E-mail: _____________________________________________________
1.9 – Telefone com DDD: __________________________________________

2.Informações Indispensáveis para ajudar a Comissão Organizadora:

2.1 – Tipo de alojamento que vai utilizar no 29º ENEPe:

( ) Quadra(alojamento da sede) ( ) Barraca de camping (haverá um espaço exclusivo para esse tipo de alojamento dentro da sede do encontro)

( )Hotel/Pousada (esta opção não é de responsabilidade da comissão organizadora, mas poderemos dar indicativos de locais). ( ) Outros (também sem ser da responsabilidade da organização do encontro)

2.2 – Você é vegetariana (o)?

( ) Sim ( ) Não

2.3 – Você possui alguma deficiência?

( ) Auditiva ( ) Visual ( ) Motora ( ) outra (especificar) ___________________________

2.4 – Necessita de qual tipo de apoio?

3. Pagamento das inscrições:

3.1 – Os depósitos devem ser feitos EXCLUSIVAMENTE na boca do caixa e nominalmente para CLODOALDO MARQUES GOMES. Agencia: 3613-7 Conta Poupança: 31.757-8 variação 01 – BANCO DO BRASIL. Guardem o comprovante de depósito, pois a apresentação do mesmo será exigida na hora do credenciamento.

3.2 – O valor das inscrições são os seguintes:

( ) R$ 90,00 com alimentação ( ) R$ 100,00 com alimentação*
( ) R$ 60,00 sem alimentação ( ) R$ 70,00 sem alimentação*

* Esses valores são sugestões para as pessoas que querem contribuir com abatimento da dívida do 28º ENEPe.

N° do Depósito:

4.3 – Período das inscrições:

As inscrições para o 29º ENEPe estão organizadas da seguinte forma: do dia 27/04 ao dia 26/06 inscrição com alimentação custará R$ 90,00 e sem alimentação custará R$ 60,00.
Após esse prazo as inscrições só poderão ser feitas na hora do credenciamento no dia 19/07/09. Sendo que a inscrição com alimentação passará a custar R$ 110,00 e a sem alimentação permanecerá custando R$ 60,00.

Edital de inscrição de trabalhos no 29º ENEPe!!!

EDITAL 01/2009
EDITAL PARA APRESENTAÇÃO DE TRABALHOS NO XXIX ENEPe - Encontro Nacional de Estudantes de Pedagogia.
Recife/PE, Abril de 2009

A Comissão Organizadora do XXIX ENEPe torna público os procedimentos para inscrição de trabalhos no encontro que acontecerá entre os dias 19 a 25 de julho de 2009, em Recife.

1. DOS OBJETIVOS
1.1 - Este Encontro tem como objetivo principal discutir as contribuições dos fenômenos da escolarização em diálogo com outras práticas educativas, na perspectiva de visualizar espaços de disciplinamento, controle e resistências.

2. DOS EIXOS TEMÁTICOS
2.1 - O tema geral do ENEPe se desdobrará nos seguintes eixos temáticos:
1. Teorias de educação libertária;
2. Estudos históricos;
3. Educação e Estado;
4. Educação e trabalho;
5. Espaços escolares e não-escolares de educação;
6. Educação e novas tecnologias;
7. Gênero, diversidade e orientação sexual;

3. DAS INSCRIÇÕES DE TRABALHOS

3.1 – @s estudantes deverão se inscrever através de ficha de inscrição (modelo anexo) e enviar para o e-mail: trabalhosenepe2009@yahoo.com.br.

3.2 - Período: 28/03/2009 até 20/05/2009


4. DA SELEÇÃO DOS TRABALHOS

4.1 - A seleção dos trabalhos será coordenada pelo Comitê Científico Organizador do ENEPe, de acordo com os seguintes critérios:
- diálogo das propostas com os eixos temáticos e objetivos do encontro;
- preenchimento adequado da ficha de inscrição e diálogo do trabalho com as indicações para apresentação dos trabalhos.

5. DAS INDICAÇÕES PARA ENVIO E APRESENTAÇÃO DE TRABALHOS

5.1 Das Propostas:

5.1.1 – Os resumos serão submetidos à revisão pelo comitê científico. A confirmação de aceite de trabalhos para apresentação será informada aos/às autores/as a partir de 21/05/2009.

5.1.2 - Os trabalhos selecionados deverão ser propostos, inicialmente, em três modalidades: comunicação oral, oficina e relatos de experiências. Caso haja alguma proposta de outra modalidade, @ propositor/a deve apresentá-la para apreciação. Não garantimos total viabilidade – mas dialogamos. Não deixe de mandar sua proposta: construa o encontro!

5.1.2.1- Previsão inicial para quantitativos de trabalhos:
comunicação oral (30 trabalhos)
Relatos de experiências (30 trabalhos);
Oficinas (30 trabalhos, sendo 15 em diversos espaços educativos e 15 na sede do encontro )

5.1.2.2 – Só receberá certificado da realização do momento a pessoa que estiver presente na apresentação do trabalho, sem exceções.

5.2 - Dos trabalhos:

5.2.1 - Na forma de comunicação oral poderá ser feito em retroprojetor, data-show ou como preferir @ expositor/a.

5.2.2- O tempo para as seções de trabalhos em comunicação oral está previsto para 2 hora e meia, sendo 15 minutos de exposição para cada trabalho (três por grupo) e o restante para questionamentos e debate.

5.2.3 – As oficinas acontecerão em espaços distintos e não apenas no local do encontro. Um grupo de 15 oficineir@s aplicará suas oficinas em escolas públicas e outros espaços educativos da região metropolitana de Recife, tendo como participantes @s estudantes destes espaços e quaisquer pessoas interessadas. O outro grupo de 15 oficineir@s aplicará suas oficinas na sede do encontro para @s estudantes que que assim optarem.

5.2.3.1 – O tempo previsto para vivência de oficinas é de 3h30 (três horas e trinta minutos).

5.2.3.2- Ao enviar seus trabalhos, @s oficineir@s devem informar: quais os materiais que utilizarão, o que vão precisar para aplicar as oficinas, escolher em quais dos espaços pretendem coordená-las e dizer pra quantas pessoas as oficinas estão voltadas. Essas informações deverão constar na ficha de inscrição de trabalhos.

5.2.4 - A exemplo das oficinas, os relatos de experiência tem caráter autogestionário, podendo ou não haver algum tipo de apoio da organização do encontro para sua realização, com base nas indicações apresentadas pel@s proponentes das atividades. Isto será comunicado aos/às proponentes.

5.2.4.1 – O tempo previsto para relatos de experiências é de 2h30 (duas horas e trinta minutos), realizados simultaneamente às comunicações orais.

5.3 - Dos resumos e trabalhos completos:

5.3.1 - Os resumos deverão conter no máximo 1.500 e no mínimo 1.000 caracteres (contando os espaços), digitados no formato Word para Windows (Fonte: Times New Roman, tamanho 12, espaço simples, justificado, margens: 2,5 esquerda, direita, superior e inferior) enviados via Internet, acompanhados de ficha de inscrição para o e-mail relatado no item 3 deste documento.

5.3.2 - Ao longo do trabalho devem ser observadas as normas de citações da ABNT.

5.3.3 - São obrigatórios no resumo: título em caixa alta, objetivos, metodologia, resultados ou conclusão e até 05 palavras-chaves.

5.3.4 – Tanto resumo quanto trabalho completo devem ser enviados na mesma data, mas em arquivos diferentes, com as seguintes indicações: primeiras palavras do título e especificando quando resumo e texto integral. Ex.: “Escola como cemitério de vivos_TEXTO INTEGRAL” e “Escola como cemitério de vivos_RESUMO”.

5.3.5 – NÃO DEVEM conter quaisquer identificações d@s autoras/es do trabalho para que seja mantido o sigilo e imparcialidade no processo de análise dos materiais enviados. Dados pessoais das pessoas devem constar apenas na ficha de inscrição e encaminhados via internet para o endereço especificado para tal.

5.3.6 – Serão selecionados até 02(dois) trabalhos por autor/a, sendo necessariamente em duas diferentes modalidades quaisquer.

5.3.7 - Os trabalhos selecionados para apresentação serão publicados nos anais do evento, devendo para isso ser submetidos na íntegra e aprovados pela Comissão.

5.3.8 – As proposições que não forem enviadas dentro de todas as indicações feitas no item 5.3.1 constarão nos anais como atividades realizadas com os seguintes dados: seus respectivos títulos, autorias, objetivos e resumo. As que não cumprirem tais solicitações mínimas, não poderão constar nos anais.

6. DOS ANAIS

6.1 – Todos os trabalhos aceitos serão editados e incluídos nos Anais do XXIX ENEPe, que será editado em formato de CD, de acordo com especificações no item 5.3.8.

7. CALENDÁRIO 2009 PARA INSCRIÇÕES DE TRABALHOS
PERÍODO

18/03/2009
Publicação do Edital

28/03/09 a 20/05/09
Inscrições de Trabalhos

20/05/09 a 30/05/09
Avaliação da Comissão Científica

21 a 31/05/09
Divulgação dos resultados para os/as autores/as


8. DA CARGA HORÁRIA DO ENCONTRO

8.1 – A carga horária do 29º ENEPe será de 60hs, seguindo a carga horária de sua programação.

Projeto do 29º ENEPe!!!

29º Encontro Nacional de Estudantes de Pedagogia


EDUCAÇÕES E PERIFERIAS: DISCIPLINAMENTO, CONTROLE E RESISTÊNCIAS



Recife, janeiro de 2009.


Se a pergunta: como se pode ser anarquista, hoje? pode ser feita, a resposta parece imediata: instalando a ética e a política sobre o perpétuo terreno da resistência. Palavra-mestra, ambição cardinal do libertário. Resistir, a saber, nunca colaborar, nunca ceder, guardar em poder de si tudo que faz a força, a energia e a potência do indivíduo que diz não a tudo aquilo que visa a diminuição do seu império, se não o puro e simples desaparecimento de sua identidade. ( ONFRAY, 2001, p. 195, apud GALLO, 2007, p. 241).


1 – APRESENTAÇÃO

De 19 a 25 de julho de 2009 acontecerá o 29º ENEPe, Encontro Nacional de Estudantes de Pedagogia, no estado de Pernambuco. O evento, organizado por estudantes de Pedagogia de todo o Brasil, terá como objetivo discutir o papel das diversas escolarizações e demais práticas educativas em regiões periféricas, procurando construir aproximações entre estas realidades a fim de identificar experiências e potenciais de disciplinamento, controle e resistências.

A nossa expectativa é de que cerca de 1500 estudantes de todo o país participem do Encontro. É uma possibilidade de formação pessoal e social d@ futur@ profissional de educação, uma vez que ele (a) poderá confrontar diferentes realidades educacionais vivenciadas em diversas localidades no cenário nacional. Através das discussões, observações e práticas com pessoas das mais variadas realidades do país, poderemos buscar e/ou destacar novas alternativas para as práxis d@s educadoras/es na construção de outros mundos possíveis, fundados na incondicional solidariedade dos seres humanos consigo, com outras formas de vida e com o planeta.

Na programação do 29º ENEPe está previsto a realização de palestras, mesas redondas, grupos de discussão, oficinas e atividades culturais, constituindo um processo formativo de vivência que o encontro pretende oportunizar.

2 – OBJETIVOS

Objetivo Geral:
Discutir as contribuições dos fenômenos da escolarização em diálogo com outras práticas educativas em regiões periféricas, na perspectiva de visualizar espaços de disciplinamento, controle e resistências.

Objetivos Específicos:
· Confrontar distintas realidades educacionais vivenciadas em diversas periferias do cenário nacional.
· Identificar perspectivas de variadas práticas em educação formal e não-formal nestas localidades.
· Destacar as contribuições d@s educadoras/es e instituições indo de ou ao encontro da construção de espaços de liberdade.
· Pensar indicativos para construir trilhas de educações emancipatórias.

3 – JUSTIFICATIVA

Educações e periferias: disciplinamento, controle e resistências.

Parece que temos tendência aos conservadorismos. Os paradigmas se cristalizam e os processos históricos demonstram-se extremamente lentos, sobretudo nossa capacidade de ler a realidade para melhor con-viver, o que traz consigo inúmeras demandas. Nossas maneiras de ver, dialogar e reconstruir o mundo, então, acabam por cair em modismos, lugares-comuns, domesticações do que outrora surgiu como libertador. Talvez isso não seja só impressão – digamos que é possível constatar isso generalizadamente, talvez com certo esforço.

Neste sentido, o Movimento Estudantil de Pedagogia (MEPe) há muito defende idéias que já se tornaram lugares-comuns; tão absolutos que já não paramos para refletir sobre eles. Exemplo: a sociedade que temos não nos serve, pois se sustenta na exploração e na desigualdade. Nos Encontros Nacionais, ponto alto de debates e discussões do MEPe brasileiro, observamos que isto é reafirmado, às vezes mais, outras menos, com algumas ênfases e ponderações próprias, mas o sentido em alguma medida parece comum. No entanto, quais nossos projetos de sociedades ou o que esperamos não mais cometer em possíveis novas relações sociais? E mais: o que estamos fazendo em nosso cotidiano, em nosso principal lócus de trabalho que ainda tem sido a escola, por mais que muit@s discordem, para construir essa nova sociedade, para fazer a revolução tão alardeada aos quatro ventos do mundo? A própria idéia de revolução precisa ser melhor compreendida, já que vivemos esperando o “dia D”. Quais nossos referenciais para outros mundos possíveis? E o que viriam mesmo a ser processos revolucionários?

A educação, o que tem a ver com isso?

Responder a essas perguntas é vital, principalmente diante do que temos observado nos últimos Encontros Nacionais, e de como têm funcionado as instâncias representativas do MEPe. A forma sectária e doutrinária como se tem desenvolvido a luta política dentro dos encontros e na mobilização junto aos estudantes são os resultados das debilidades apontadas. Quantas vezes não perdemos bons (as) futur@s militantes pela maneira truculenta e saudosista com que muitas pessoas querem atuar no ME, com as mesmas bandeiras de cinco, dez ou vinte anos atrás? Que revolução é essa que queremos que não começa para nós mesm@s e pelo nosso campo e modo de atuação?

Pensando nisso, trazemos à discussão o projeto do XXIX ENEPe, no qual pretendemos discutir séria e comprometidamente que não queremos uma sociedade apoiada em ideais capitalistas, ou de quaisquer outras formas de organização fundadas na desigualdade, disciplinamento, controle, porque mesmo “quando pensamos que somos ‘senhores da escola’, que estamos sendo sujeitos do processo, estamos em verdade sujeitados” (GALLO, 2008, p. 83). E é importante também dizermos algo sobre o que queremos e como pensamos atingir os fins, que já se gestam nos meios (BETTO, 2000; SALES, 1999), que queremos com base na educação (que não acontece apenas na escola, e talvez este tenha sido um dos piores lugares de seu acontecimento) e suas contribuições/relações.

Diante de tal complexa realidade, como podemos pensar o papel da educação na construção de outros mundos possíveis? Como construir processos educativos cujo principal referencial seja o cuidado com a vida e não a formação de subjetividades submissas e dóceis? Como se constitui uma educação que realize as transformações políticas, econômicas, culturais e sociais necessárias? (MESZARÓS, 2005).

Muito se questiona a respeito da atuação, função ou papel da escola na sociedade. Cada vez mais se torna evidente que o processo de exclusão educacional não se dá apenas na questão do acesso à escola, mas também dentro dela. O que estamos colocando em xeque é a reprodução da estrutura de valores que contribui para perpetuar uma concepção de mundo a serviço das variadas e difusas formas de dominação, inclusive em nível macro via implementação política dos processos educacionais, que praticam e agravam o apartheid social, ou uma inclusão perversa com roupagem politicamente correta, que mais contribuem para o que se tem chamado de governamentalidade de que para possibilitar condições de liberdade.

Brandão (1995) afirma que ninguém está livre da educação, pois esta se faz nas mais variadas formas e lugares, tendo se institucionalizado com o surgimento da escola. A partir de então, a escola se torna socialmente reconhecida e promotora oficial da educação. Mas por isso mesmo não podemos entendê-la como natural ou indispensável. Como ela surge? De onde? A serviço de que e contra o quê? (Beltrão, 2000; Corrêa, 2003; Sá, 2003). E a escola estatal, que podemos pensar e fazer dela?

A assunção da educação por parte do Estado brasileiro intensificou-se a partir de sua “independência política de Portugal”, principalmente pela necessidade da formação de quadros da/para burocracia, em substituição aos que foram embora. O Estado assume o controle efetivo sobre os métodos de ensino, materiais didáticos e seleção do corpo docente. Os republicanos foram outros grandes entusiastas da responsabilidade do Estado com a educação básica, influenciados pelo ideário positivista, que defendia a educação como um meio de formar cidadãos e pessoas civilizadas (GALLO, 2007).

Porém, esse movimento não se deu apenas por parte dos liberais; houve pressão popular por mais escolas, especialmente do movimento operário do início do século XX, em suas diversas vertentes. Os socialistas acabaram levando ao extremo a concepção liberal do Estado como guardião da igualdade de oportunidades para todos, e exigiram que o Estado oferecesse mais escolas para as crianças e adultos. Viam na educação uma forma de o povo tomar consciência da exploração sofrida e optar pela transformação social.

Depois dos socialistas, os anarquistas predominaram durante duas décadas no movimento operário, e buscaram um afastamento tático e metodológico do Estado, abrindo inclusive escolas próprias; a partir da fundação do Partido Comunista Brasileiro – PCB, os comunistas organizam sua própria proposta para a educação, fazendo distinções entre o político e o pedagógico, apresentando as propostas do primeiro caso em panfletos para a população em geral e as pedagógicas em suas publicações específicas.

Percebemos que, embora com diferentes motivações e interesses, liberais, socialistas e comunistas concordaram com a necessidade de que a educação fosse gerida pelo Estado, ao contrário d@s anarquistas. Mas o que é o Estado?!
E a escola, o que é? Fora dos discursos hegemônicos, trata-se de uma máquina de disciplinamento e controle que tem sido o principal instrumento para propagar e reforçar os ideais elitistas, promover e acentuar as desigualdades sociais tão expressivas em nosso país (CORRÊA, 2003). Tanto nas escolas públicas, que deveriam ser para tod@s, de acordo com o próprio artigo 205 da Constituição Federal, mas acabam se voltando para o “atendimento” da classe empobrecida e espoliada, quanto nas escolas privadas, que atendem as camadas privilegiadas (já na universidade os termos se invertem).

Com base nas reflexões levantadas, defenderemos nossa justificativa para escolha desse tema levados pela inquietação de que o modelo escolar pouco evolui e pouco se afasta do processo massificador, alienador e da excludente prática desumanizante. As instituições escolares se apresentam no mais intenso declínio, principalmente aquelas que atendem à classe trabalhadora; propomos então que se faça o caminho inverso, onde possamos ir de encontro ao atual padrão de escolarização/educação, e possamos permitir que @s educand@s tornem-se sujeitos críticos, políticos e conscientes de suas possibilidades enquanto gente, de seus direitos enquanto seres humanos.

É hora de romper com atuais paradigmas da educação e escolarização. É hora de “deseducar”.(?) Sem contar que:

"Estamos tão acostumados a conviver com a instituição escolar, que nos parece difícil discutir o seu funcionamento, a sua organização. Na verdade, o que é preciso fazer, antes de gastarmos tantos esforços para aprimorar a escola, é discutirmos as premissas básicas do seu sistema organizacional" (SÁ, 2003, p. 45).

Então, precisamos ir além da inculcação que nos tem sido imposta com a redução da educação à escolarização e o silenciamento das várias possibilidades educativas ao longo da vida. Para possibilitar espaços de construção de liberdades libertárias e a libertação da educação seqüestrada pela escola, precisamos tentar libertação do que nos têm inculcado de se apenas “pensar dentro do até então pensado, e agir nos limites do até então realizado” (PEY in BELTRÃO, 2000, p. 10). Por que pensar educação tem de ser pensar escola? A que esta instituição tem servido? O que tem sido produzido dentro da lógica escolarizante tão em vigor no pensamento social e educacional?

Na tentativa de sair do conformismo e a fim de destacar a importância do tema, visando a ampliação e transformação das práticas educacionais, convocamos @s estudantes de Pedagogia de todo o Brasil para o debate, a discussão e construção do 29º ENEPe, mirando uma educação para a libertação, de dialogarmos sobre e como podemos construí-la cotidianamente sem cair nos discursos simplistas e camufladores dos processos de dominação.

4 - PROCEDIMENTOS METODOLÓGICOS

É momento propício para se experimentar a oficina, as conversações, as dúvidas e os transtornos, intempestividades, coisas ágeis, corriqueiras e contundentes com uma criança ou jovem; avançar sobre o que ficou obstruído pela educação centralizadora que vai do Estado às professorinhas, aos agentes comunitários, “ongueiros” e educadoras nacionais de cima pra baixo e de baixo pra cima, incluindo os professores e universitários, da graduação a pós-doc” (Passetti in Corrêa, 2006, p.10).

Durante essa temporada, haverá mesas redondas, cine-debates, relatos de experiências, grupos de discussão e trabalho, oficinas, além de espaços de vivências.
Nossa proposta de ato público vem do entendimento de que deve deixar uma marca permanente naquele local onde é feito. Precisamos superar a idéia fechada de que atos devem necessariamente ter pessoas segurando faixas (que dizem as mesmas coisas de sempre), gritam palavras de ordem segurando megafones, etc.

Entendendo, mais uma vez, que somos pedagog@s em formação e que temos a educação como ferramenta integrante do processo de transformação, propomos que estados e grupos participantes do ENEPe preparem situações pedagógicas (oficina, aulas, atividades, etc.) e estejam dispostos a conhecer outras realidades com estudantes das redes Municipal do Recife ou Estadual e/ou outras espaços educativos fora do controle direto do Estado. Esse espaço seria uma oportunidade bastante rica de troca/construção de saberes, além de proporcionar aos/às estudantes participantes do evento um momento para conhecer outras realidades e pensar sobre sua participação na transformação (ou manutenção) social através da educação, percebendo limites e possibilidades desta atuação. Porém, se for da vontade d@s estudantes participantes do 29ª ENEPe, haverá momentos específicos para organização e concretização do Ato Público, na forma de passeata.

5 – ORGANIZAÇÃO DAS ATIVIDADES

No geral assim estão organizadas as atividades do Encontro:

Plenária inicial
Momento de definição do Acordo de Convivência, repasses de informações gerais do Encontro, dar as boas-vindas...

Mesa de Abertura

Introdução ao tema geral do encontro, ampla contextualização do problema trazido pelo tema e levantamento de problematizações a serem desenvolvidas ao longo do encontro.

Mesas redondas
Possibilitar discussões acerca de problemáticas relacionadas ao tema geral do encontro em dialogo com seus eixos temáticos. Serão compostas por debatedores com falas de 15 ou 30 minutos (cada), seguidas de debate.

Rodas de diálogo
Rodas acontecendo simultaneamente com temáticas distintas. É uma prática comum nos movimentos sociais trabalhar em roda em dinâmica de diálogo.

Vivências
Trocas de relatos de experiências educacionais entre os estados, por meio de dinâmicas e processos os mais diversificados possíveis para maior interação dos sujeitos nos grupos.

Subver-Cine
A exemplo dos consagrados cine-debates, a proposta é instigar momentos de interação do filme com a realidade.

Dia Livre
Pensamos ainda em sugerir algumas atividades para o dia livre, que possibilitem uma visão do Recife e de Pernambuco que vá alem do mero turismo elitista. Temos o Barco - escola, proporcionado pela Prefeitura do Recife para conhecer a cidade pelo Rio Capibaribe, passando pelos principais trechos de mangue. Há ainda o Recife Antigo, a Ciranda de Lia na Ilha de Itamaracá, a Casa da Rabeca do Mestre Salustiano, Olinda e Sítio Histórico, entre outros lugares.

Plenária Final
Momento de definição dos planos de luta e de ação escolhidos pel@s estudantes de Pedagogia que participaram do encontro, a serem defendidos e cumpridos por eles até o ENEPe de 2010 e também momento de avaliação do 29º ENEPe.

6 - BAZAR SOLIDÁRIO
A realização de um bazar durante todos os dias do evento, surge como uma das propostas para abatermos as dívidas assumidas por estudantes de Pedagogia do Espírito Santo oriundas da organização do 28º ENEPe, realizado em 2008.

7 – COMISSÕES
Para o encaminhamento e andamento das atividades sugeridas, a comissão organizadora estará dividida em:
I. Infra – estrutura
Disponibilizar alojamento aos/as participantes do Encontro, atentando para a manutenção com qualidade dos banheiros, bebedouros, refeitório, etc.
Operacionar equipe de segurança que venha a zelar pela integridade física d@s participantes do evento, nos espaços onde estará acontecendo o encontro, bem como pelo patrimônio da instituição-sede;
Coordenar a limpeza dos alojamentos, dos locais de palestras e grupos de trabalho;
Viabilizar uma equipe técnica para qualquer eventualidade na rede elétrica e hidráulica do local (eletricista, encanador);
Fazer um relatório quando for repassada a responsabilidade constando: danos na estrutura reconhecida pela direção do local, antes de abrigar os/as participantes, em ofício datado e assinado pelo Diretor ou Diretora do local e pelo coordenador ou coordenadora da comissão;
Organizar as brigadas que também serão responsáveis pela conservação do local;
Organizar todas as inscrições feitas para o Encontro; Organizar as fichas por Estado;
Responsabilizar-se pela entrega de material dos/as participantes;
Providenciar a entrega dos certificados.

II. Finanças
Organizar e distribuir recursos financeiros, notas fiscais, recibos e contratos estabelecidos, antes, durante e depois do Encontro;
Prestar contas durante e ao final do evento a todas as coordenações e aos (as) estudantes de Pedagogia presentes ao Encontro, bem como, posteriormente, enviar relatório final das contas via e-mail, para que tod@s estudantes tenham acesso.

III. Científica
Definir critérios para a seleção de trabalhos que contemplem a proposta do encontro;
Selecionar e enviar os textos que servirão de subsídio às leituras sobre o tema principal e os eixos do evento;
Trabalhar em conjunto com a Comissão Científica que irá analisar e apreciar os trabalhos a serem apresentados no XXIX ENEPe;
Cuidar para que os prazos do Edital dos trabalhos sejam cumpridos;
Resolver todos e quaisquer problemas que surgirem com @s autores/as dos trabalhos;
Organizar a apresentação dos trabalhos antes e durante o Encontro;
Fazer a entrega dos certificados d@s autores/as de trabalho.

IV. Comunicação
Coordenar a comunicação e divulgação do evento;
Disponibilizar a lista das Universidades que oferecem o curso de Pedagogia no Brasil para divulgação;
Elaborar proposta de arte para o XXIX ENEPe ;
Entrar em contato com as Executivas Estaduais fornecendo-lhes informações sobre o encontro, para que possam ajudar na divulgação em seus estados;
Atualizar informações no blog e nas listas de discussão;
Providenciar o registro em audiovisual do encontro.

V. Alimentação
Elaborar cardápio para o Encontro;
Responsabilizar-se pela organização do local das refeições e dos voluntários.

VI. Artístico/cultural
Listar e disponibilizar equipamentos necessários para o desenvolvimento das atividades culturais;
Organizar as atrações culturais que se apresentarão durante o encontro;
Organizar o Dia Livre;
Negociar espaços disponíveis para a comercialização de livros, revistas, e artigos culturais.

REFERÊNCIAS
BELTRÃO, Ierecê Rego. Corpos dóceis, mentes vazias, corações frios. São Paulo: Imaginário, 2000.
BETTO, Frei. Desafios da Educação Popular. São Paulo: CEPIS, 2000.
BRANDÃO, Carlos Rodrigues. O que é educação? São Paulo: Brasiliense, 1995.
CORRÊA, Guilherme Carlos. Educação, comunicação, anarquia: procedências da sociedade de controle no Brasil. São Paulo: Cortez, 2006.
GALLO, Sílvio. Deleuze e a educação. 2ª Ed. Belo Horizonte: Autêntica, 2008.
GALLO, Sílvio. Pedagogia Libertária: Anarquistas, Anarquismos e Educação. São Paulo: Imaginário: Editora da Universidade de Federal do Amazonas, 2007.
MESZARÓS, István. Educação para além do capital. São Paulo: Boitempo, 2005.
PEY, Maria Oly (org.) Recordando Paulo Freire: Experiências de Educação Libertadora na Escola. Rio de Janeiro: Achiamé, 2002.
SÁ, Raquel Stela de. Do corpo disciplinar ao corpo vibrátil - Uma abordagem libertária contemporânea. Rio de Janeiro: Achiamé, 2003.
SALES, Ivandro da Costa. Educação Popular – um perspectiva, um modo de atuar (Alimentando um debate). In: MELO NETO, José Francisco de; SCOCUGLIA, Afonso Celso. Educação Popular: Outros Caminhos. João Pessoa: Editora Universitária, 1999.